quinta-feira, 2 de outubro de 2014

DÚVIDAS

Numa qualquer sexta-feira, fui ao médico.

“Não estou doente.” – disse ao clínico, um jovem pela idade da minha filha mais velha ou talvez nem tanto.  Ele levantou os olhos do PC. Agora os médicos interagem mais com os computadores do que com os doentes. E eu, para que não me tomasse por arrogante, ou presumida, ou como me quisesse chamar, emendei: “Bom! Penso que não estou doente. Isso terá de ser o doutor a avaliar, pois recai no âmbito das suas competências. O médico voltou a interessar-se pelo PC.

“Venho por uma questão que se prende com a qualidade de vida” – continuei – “nem tão pouco sei se poderei encontrar o que pretendo numa caixa de comprimidos.” O médico escrevia e eu desfiava o rosário das minhas ideias, pretensões, dúvidas, ou lá o que se queira chamar ao discurso que ininterruptamente proferia.

Quando me calei, o doutor desviou o nariz do PC, olhou-me, e num tom surpreendido sentenciou: “É uma senhora castiça, característica a que sabe muito bem aliar a inteligência.”

Eu sorri à leitura subjetiva que fiz do que acabava de ouvir, que não vem ao caso e lá vim com uma receita de pílulas que continuo na dúvida se devo ou não adquirir. No fim paguei setenta e cinco euros de consulta.

Conclusão: Castiça poderei ser, quanto à inteligência… tenho sérias duvidas. Pregar aos peixes ter-me-ia saído muito mais barato.


8 comentários:

  1. Ficaste sem saber se as pilulas eram para deixares de ser castiça ou para te manteres castiça?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei sem saber se as pílulas eram para ficar inteligente ou para deixar de ser inteligente... Pareceu-me foi que o médico achou que eu era tolinha, mas ainda não estava completamente louca... Vai daí, para que seriam as pílulas???? :D

      Eliminar
    2. Serå que te enganaste e nāo era o medico? Uma vez fui a um psiquiatra aī da praça e quando no fundo do corredor saiu uma caratonha a chamaar por mim eu pensei ser algum maluco que lå estivesse para ser consultado também, só depois vi que estava enganada e era mesmo o médico mais maluco do que eu estava quando entrei

      Eliminar
  2. Castiços começamos a ser nós, os que vêm para os blogues para desabafar com mais calma...
    A verdade é que começo a perceber que esta pílula é de efeito mais duradouro que o Facebook e continua a ser de toma agradável...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, eu sempre gostei de me rir de mim. É uma forma como outra qualquer de estar na vida.Ajuda a ultrapassar os fracassos e isso não me impede de ser uma pessoa muito ponderada, amiga dos meus amigos e responsável. Entendo perfeitamente que estas brincadeiras possam dar uma ideia errada de mim, mas na verdade também já não tenho idade de me preocupar com essas coisas. Quem me conhece sabe como sou e quem me quiser conhecer também sabe que para o conseguir não poderá ser só pelos textos que publico no blogue.

      Eliminar
    2. Será que estou certa, ou estou errada? Se calhar estou assim, assim... :D

      Eliminar
  3. E nem uma caixinha de comprimidos te receitou?!.... Que incompetente!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que me queria mandar para geriatria e não teve coragem. :)

      Eliminar