sexta-feira, 12 de julho de 2019

QUISERA




Quisera que no meu peito fosse sempre verão
Que os goivos-da-praia perfumassem
cada dia
Que a noite me falasse de poesia…

E tu vinhas
envolto numa eloquência de estrelas
Pisando de devagar as pedras do caminho

Empurravas a porta entreaberta
Entravas de mansinho
E mimavas-me a alma com carinho

Imaginar-te sem saber-te
É um desatino

Sonhar-te sem ter-te
É o meu destino

Sem comentários:

Enviar um comentário