domingo, 6 de maio de 2012

MÃE - QUANTO É DOCE...

4 comentários:

  1. Um dia muito especial, pelo menos falamos mais das nossas mães, e temos ensejo de ouvir canções como esta, que o Zeca Afonso interpreta.

    Poema singelo, música singela, para quê rebuscar a comemoração desta efeméride?

    Vou já telefonar à minha mãe, ela a viver já com 87 anos, em Viseu, na minha aldeia, parece que a estou a ver, quando nos encontramos, fixa-me demoradamente, sorri-me com doçura, e cada vez com mais regularidade: "parece que estou a ver o teu avô ( pai dela), alto, olhos azuis", etc mais uns elogios, fico babado, ainda bem que saio aos meus.

    Bom domingo, Isabel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, António.

      Hoje almocei com a minha mãe. Já tem 94 anos. Acabei há uma hora de desempenhar o meu papel de filha; agora, vou até Lisboa desempenhar o de mãe, porque amanhã, espera-me o de avó. As circunstâncias da vida a copiarem a unidade/multiplicidade do eu. É tão bom sentir-me envolvida nesta trilogia.

      Bom domingo, também para si, António.

      Eliminar
  2. Que sortuda, Isabel! Ainda estás no meio dessa trempe! Cada um tem aquilo que merece...
    Beijinhos e vê se desempenhas bem essa multiplicidade de papeis!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Graça.

      Vou fazendo o melhor que posso... Hoje era o Dia das Mães, no Colégio do neto, mas calhou à avó andar a rebolar pelo chão numa aula de educação física. Enfim... É como dizes... Cada um tem o que merece!
      Cada um rebola como pode... looolllllllllll

      Eliminar