quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

SONETO DE FIDELIDADE


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.

4 comentários:

  1. "Beleza é importantíssimo! Grave, porém, é o problema das saboneteiras! Uma mulher sem saboneteiras é como um rio sem pontes!"

    Vinicius de Morais

    (O poeta mais "tropical" e mais saboroso da língua portuguesa)
    O.A.A.O.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "É preciso que tudo isso seja sem ser, mas que se reflita e desabroche
      No olhar dos homens."

      Vinicius de Morais

      A "Receita" resulta quando a Mulher é no olhar do Homem, como o reflexo do Sol sobre o mar.

      Eliminar
  2. "O homem não pode conquistar todas as mulheres...
    Mas deve tentar."

    Vinicius de Morais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Vai, portanto, não hesites. Procura conquistar todas as mulheres. Em mil, haverá talvez uma para te resistir. E quer cedam, quer resistam, todas gostam de ser cortejadas. Mesmo se fores derrotado, a derrota será sem perigo."

      Ovídio in “A Arte de Amar”

      Eliminar