domingo, 23 de outubro de 2011

O DIA DEU EM CHUVOSO

O dia deu em chuvoso.
A
manhã, contudo, esteve bastante azul.

O dia deu em chuvoso.
Desde
manhã eu estava um pouco triste.


Antecipação! Tristeza? Coisa nenhuma?
Não sei: já ao acordar estava triste.
O dia deu em chuvoso.

Bem
sei, a penumbra da chuva é elegante.

Bem sei: o sol oprime, por ser tão ordinário, um elegante.
Bem sei: ser susceptível às mudanças de luz não é elegante.
Mas quem disse ao sol ou aos outros que eu quero ser elegante?
Dêem-me o céu azul e o sol visível.
Névoa, chuvas, escuros — isso tenho eu em mim.

Hoje
quero só sossego.

Até amaria o lar, desde que o não tivesse.
Chego a ter sono de vontade de ter sossego.
Não exageremos!
Tenho efetivamente sono, sem explicação.
O dia deu em chuvoso.

Carinhos
? Afetos? São memórias...

É preciso ser-se criança para os ter...
Minha madrugada perdida, meu céu azul verdadeiro!
O dia deu em chuvoso.

Boca
bonita da filha do caseiro,

Polpa de fruta de um coração por comer...
Quando foi isso? Não sei...
No azul da manhã...

O dia deu em chuvoso.


Fernando Pessoa,Poemas de Álvaro de Campos
________________________
Poema enviado pela amiga Amélia Pais
http://barcosflores.blogspot.com

8 comentários:

  1. Quando o dia dá em chuvoso, acontecem
    coisas assim, ao menos a um dos Pessoa...

    No caso, ao Álvaro de Campos!

    Gosto desse poema, Isabel
    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  2. Saber que a chuva (também ela) passa... consola?
    Lindo poema!

    ResponderEliminar
  3. Olá, Lúcia.
    Há quanto tempo não tinha o prazer de ler os seus comentários.
    Seja bem-vinda!
    Chegou a chuva! Eu já tinha saudades.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Olá, Rui.
    Eu gosto de chuva. E de Pessoa... ainda mais :)

    ResponderEliminar
  5. Belas as suas escolhas, Isabel!

    Apesar de termos poetas espetaculares---Fernando Pessoa e seus heterónimos são sempre MUITO BEM-VINDOS!

    Parabéns Isabel----também gosto muito!
    Beijinho Lena

    ResponderEliminar
  6. Eu cá, gosto mais do Pessoa (Álvaro de Campos) do que de chuva. Mas confesso que já sentia uma pequena saudadinha do cheiro da terra molhada.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Já estava à espera que contestasses a chuvada...
    Mas até tu tinhas saudades?! Tal não vai a seca!

    ResponderEliminar