terça-feira, 25 de outubro de 2011

SOL E CHUVA

Você diz que ama a chuva,

mas você abre seu guarda-chuva quando chove.


Você diz que ama o sol,

mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha.


Você diz que ama o vento,

mas você fecha as janelas quando o vento sopra.


É por isso que eu tenho medo.

Você também diz que me ama


William Shakespeare (retirado da NET)

9 comentários:

  1. Que grande sentido de observação!!!....

    Tá mesmo giro Isabel!

    Foi uma busca bem recompensada!

    Beijinho Lena

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia estas frases do William Shakespeare (retirado da NET) lol...

    O Rui Pascoal é de uma ironia que nem te digo...lol

    Nota: não gosto de quem mantém as janelas fechadas, tirando aqueles momentos...:)

    ResponderEliminar
  3. Nota:

    Não queres retirar a opção verificação de palavras???? É um seca!!!!

    lol

    ResponderEliminar
  4. Se te comparo a um dia de verão
    És por certo mais bela e mais amena
    O vento espalha as folhas pelo chão
    E a luz do verão é mais pequena.

    Ás vezes brilha o Sol em demasia
    Outras vezes desmaia com frieza;
    O que é belo declina num só dia,
    Na terna mutação da natureza.

    Mas em ti o verão será eterno,
    E a beleza que tens não perderás;
    Nem chegarás da morte ao triste inverno
    Shakespeare

    ResponderEliminar
  5. Olá, Rui.
    A mancha gráfica é de minha autoria. O facto de ser retirado da NET e constar como de Shakespeare, não oferece qualquer garantia de que assim seja.

    Mas... às vezes o que não parece é!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  6. Olá, Maria Helena.
    Também achei giro, sobretudo irónico, por isso me agradou e "postei".
    Ainda bem que gostou.
    Beijinho também para si.

    ResponderEliminar
  7. Olá, M.
    Tu não conhecias e eu também não! (lol) Fará diferença ser ou não ser? Valerá a pena levantar a questão?
    Em tempos orientei uma estagiária que passava a vida a inventar provérbios, acrescentando sempre "provérbio chinês" e dizia que resultava, que ninguém punha em dúvida. Também não vou pôr em dúvida a paternidade da citação:)
    Eu não conheço o Rui, mas só posso concluir que deve ser uma "peste" que tem sempre a língua afiada, mas eu gosto que me provoquem... (lol)

    Acho que as janelas foram inventadas para se abrirem. Debruçar-me sobre mim, para que o ar me encha de realidade e o Sol ilumine a lonjura que não me canso de admirar.

    Imagina que nem sabia que tinha a opção que referes... Tentarei alterar.

    ResponderEliminar
  8. Olá,"euchavi".
    A sua gentileza confunde-me. Gostaria muito, mas não mereço a comparação.
    O seu comentário, dedicando-me este poema, foi de grande generosidade.
    Bem haja!

    ResponderEliminar