quarta-feira, 11 de maio de 2011

ADEUS NÚMERO TRÊS


Deixo-te com tua vida

teu trabalho

tua gente

com teus pores-do-sol

e teus amanheceres.



Semeando tua confiança

deixo-te junto ao mundo

derrotando impossíveis

segura sem seguro.



Deixo-te frente ao mar

decifrando-te a sós

sem minha pergunta às cegas

sem minha resposta rota.



Deixo-te sem minhas dúvidas

pobres e mutiladas

sem minha imaturidade

sem minha veteranice.



Mas também não creias

de pés juntos em tudo

não creias nunca creias

neste falso abandono.



Estarei onde menos

esperares

por exemplo

numa árvore anciã

de obscuros cabeceios.



Estarei num distante

horizonte sem horas

na marca do tato

em tua sombra e minha sombra.



Estarei repartido

em quatro ou cinco meninos

desses para quem olhas

e em seguida te seguem.



E tomara possa estar

de teus sonhos na trama

esperando teus olhos

e te olhando.


Mario Benedetti (Poeta uruguaio)


(Chau Número Tres)
Tradução: Celina Portocarrero


É assim que se cumpre a minha circunstância: Adivinhar na lonjura o Cavalo Verde...

3 comentários:

  1. Dizem os astros que sou Tigre, no horóscopo chinês. Mas um tigre terra. Não me afasto da toca, nem piso terrenos nunca dantes desbravados. Cautela e caldos de galinha ...

    ResponderEliminar