segunda-feira, 2 de maio de 2011

AQUELES OLHOS VERDES

Para o meu amigo Olímpio.
E, se me permite, através da sua pessoa, dedico igualmente a canção a todos os incorrigíveis românticos e gentis latinos que tão bem representa.
Volte a Budapeste. A vida é curta!



..."a poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais". (Voltaire)

3 comentários:

  1. Desconhecia e o teu amigo deve sentir-se bem ao ouvi-la. Eu gostei:)

    ResponderEliminar
  2. Adoro este bolero! É lindo e eu adoro olhos verdes! E também sou uma romântica incorrigível e indefectível e outras coisas terminadas em -ível...

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. "A saudade... é uma gota de orvalho numa pétala de flor...de leve oscila...e cai como uma lágrima de amor"...

    ResponderEliminar