quarta-feira, 1 de junho de 2011

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

Já não tenho olhos de "mata-borrão", já não há avidez no meu olhar, mas sobra da criança que fui o mesmo encantamento pela vida.


6 comentários:

  1. Deduzes bem. Eu com seis anos. Hoje tenho poucos mais...

    ResponderEliminar
  2. E mesmo quando crescemos, existe sempre uma parte de nós que é criança. Tentamos sempre escondê-la, atirando com a noção de "maturidade" para tudo, e como é necessário ter maturidade, ser responsável, etc etc...a verdade é que por vezes faz bem deixar essa criança se revelar :)

    ResponderEliminar
  3. Estive a fazer as contas...Pela tua foto de perfil andarás pelos 20 e...

    :)

    ResponderEliminar
  4. M, não sei se não terás contado um dedo ou dois a mais... :)

    ResponderEliminar
  5. Olá Joana.
    Voltei aqui porque me lembrei que te deixei sem resposta.
    Eu fui professora primária, do primeiro ciclo como chamam agora, penso que já saberias. Quem teve o privilégio de exercer uma profissão como a minha, mesmo que queira, não envelhece. Pode encher-se de rugas, ficar surda, míope, trôpega, mas em nós há sempre um sopro de brisa que nos refresca a alma. Que idade temos? De quatro em quatro anos simplesmente seis anos de idade cronológica que ajudamos a crescer até aos dez, para voltarmos a repetir tudo de novo.
    A vida de um professor VARIA para não AVARIAR, numa sucessão de círculos que o mantém sempre jovem e actualizado (mesmo que se meta por outras "andanças" pedagógicas, como aconteceu comigo).

    ResponderEliminar