segunda-feira, 13 de maio de 2013

CANSAÇO




Hoje aconteceu o primeiro ensaio da peça “As Mulheres no Parlamento” de Aristófanes, no espaço onde será representada, pelo grupo da SEMPRAUDAZ, no dia dezoito de junho, pelas quinze horas: o palco do Teatro Miguel Franco.

“Falta de ritmo” – ralhou a encenadora – “adaptação ao espaço” – sugeri, e acabou o ralhete. 

“Meninas – sussurrei às outras – com os ensaios que temos somos umas grandes artistas” – e sorri bem-disposta para desanuviar o ambiente.

E repete… e repete… e  repete…

Ah! Apetecia-me ser gaivota para planar esquecida, num céu azul sem nuvens.

5 comentários:

  1. Quando o limite é o infinito, torna-se mais infinito (e nada tem com a matemática, talvez com a física, ou melhor ainda, com o físico, rsrsrs).
    Não tenho aparecido porque levei o coração para a revisão e mudança de óleo (estava a bater mal, aliás, como o dono).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, José. Ou devo dizer Insete? Espero que esteja bem do coração. As únicas palpitações permitidas são as de espanto, pelas coisas boas da vida, nada de pôr a máquina a bater mal. O dono já é outra conversa. Bater mal de vez em quando até é saudável.
      O neto já namora?
      Por acaso o meu amigo Insete não é o primo da minha amiga Elisabete Diamantino, que é daqui destas bandas e mora por aí pelo norte?
      Boas melhoras.

      Eliminar
  2. Por vezes também me apetece bater asas mas, como não sou um "sempreaudaz", vou nadar e isso passa-me.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Rui.
      Se a "minha" presidente o vir escrever o nome da associação com o "e" fica logo zangada. Foi ela que escolheu o nome: SEMPRAUDAZ - Associação Cultural. Confesso que quando tive conhecimento, me ri com gosto pois senti-me uma paraquedista em queda livre.Hoje acho o nome interessante para "gente da pesada" como nós. A audácia está sem dúvida em voar, nas asas do pensamento. O sonho não pode parar.
      Eu tenho dias em que me apetece "atirar ao rio" não para me afogar até aos tornozelos, mas para me deixar ir, de olhos fechados, a boiar até ao oceano. Ontem apeteceu-me voar, encher-me de azul e olhar para longe, para muito longe. :)

      Eliminar
    2. Vim dar a mão à palmatória.
      :(

      Eliminar