quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A IGUALDADE DE GÉNERO


Manhã bem cedo toca o telefone. “Mas onde é o fogo?” Pergunto ao atender.

Não havia fogo… o meu amigo Z. agricultor dos sete costados, com um lagar de azeite, que é o seu orgulho e que me fornece desse azeite bom extraído a frio e caro que se farta… telefonava em busca de auxílio. Ia receber um amigo de longe e tendo muitas abóboras, queria saber como poderia fazer um doce para o obsequiar.

Comecei a explicar como fazia o doce de abóbora com nozes, que o meu amigo Z. até já provara, para ser de imediato interrompida. “Não é esse que eu quero” “mas é assim que eu faço…” “mas eu quero fazer o doce que comi em casa da G.”

Ainda não eram oito horas da manhã, foi aqui que acabei de acordar…

Tanto quanto tenho ouvido ao Z., a G. é uma senhora, professora aposentada como eu, casada com o contabilista, seu colaborador, dos tempos em que ele explorou uma pequena indústria de tecelagem e vive em Avelar. Ora se eu nem conheço a G. como saberia que doce é que oferecera de sobremesa ao Z.? “Não era mais fácil perguntares à G.?” “Ela levanta-se tarde, tenho a certeza que ainda está na cama, não vou incomodá-la”. Bom, eu também estava, ou melhor, estaria… não fora o telefonema. “Como sei que te levantas cedo…” Não comentei. Ri-me e segui em frente. Perguntei que aspeto tinha o doce, a consistência, como fora servido, e tudo o mais que me pudesse orientar para dar as explicações possíveis ao meu amigo.

Passados dias voltou a ligar. “O doce ficou ótimo. O meu amigo comeu e chorou por mais.”
“Folgo em saber” – foi a resposta e o Z. ficou a pensar que eu folgava em saber que o doce estava bom. De facto, estava contente com os seus êxitos culinários, não pelo doce em si, mas porque tinha um amigo homem, numa aldeia próxima de Castelo Branco, a sair-se tão bem na luta pela igualdade de género.

É que eu continuo a achar que a luta é deles e não nossa.

2 comentários:

  1. É uma luta desigual... e eu já me rendi, há muito.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Já deu para perceber que o Rui venceu há muito essa batalha. Parabéns.
      Gostaria de lhe pedir a receita do doce de tomate que fez para a Any. Li algures, julgo que no blog da Graça que usa açúcar mascavado. Eu não e por isso fiquei curiosa... Dá para revelar o segredo?
      Bom fim de semana.

      Eliminar