domingo, 10 de março de 2013

ENCONTRO

Esta manhã, vagueando pelo PC, encontrei-me num qualquer dia de um qualquer ano.
Aqui fica um fragmento. Para que não esqueça...

O que a vida nos faz… Ameaça e compensa. Estrangula e afrouxa o laço. Quase mata e reanima. E a felicidade está no equilíbrio entre a força com que enfrentamos a desdita e a esperança no que vem a seguir.


Palavras ditas, lembradas de mansinho, afugentaram a insegurança que ameaçava instalar-se dando espaço à doce expectativa de quem sabe que se já esperou tanto, pode esperar um pouco mais. A vida acontece em cada dia. Eu estou atenta. Alimento a felicidade de pequenas coisas, às vezes bem pequenas, com que a vida me premeia por entre todas as outras menos ditosas que vão acontecendo. Estas ajudam a valorizar as outras. Cada dia é um estado de graça. 



5 comentários:

  1. Nós sabemos que é assim, só que esquecemos facilmente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, mas eu hoje acordei esquecida. Por acaso encontrei um texto não publicado que, felizmente, me lembrou

      Eliminar
  2. Donde se demonstra que ler ajuda... às vezes, ao ânimo!

    Neste caso concreto, ler o que já se esqueceu que um dia escrevemos e deixámos ficar na pilha de notas e apontamentos do nosso dia a dia.
    Espantoso que ideias e reflexões, escritas noutros tempos, nos relembram em como o nosso pensamento é, de facto, uma corrente contínua que pode perfeitamente levar-nos a repetir passos já dados...

    A vida no seu corropio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os passos, por muito parecidos, nunca serão iguais. As circunstâncias também diferem. As semelhanças acontecem e a vida segue em frente sem pedir autorização.

      Eliminar
  3. A ambos, obrigada pelas palavras. Há dias em que precisamos mais delas do que outros.
    Abraço.

    ResponderEliminar