sábado, 26 de novembro de 2011

ESQUECIMENTO

Acordei esta manhã, no calor da minha cama, mergulhada na escuridão do meu quarto e deixei-me ficar de olhos fechados saboreando a quietude do momento.

Tenho saudades de mim. Tenho saudades do tempo. Tenho saudades de me deixar estar, como que perdida no universo, flutuando em nada. Eu e as estrelas a sonhar com o Sol da manhã.

Esquecida que sou, nem eu me preocupo comigo.

E apeteceu-me alongar na paisagem e enrolar os pensamentos no marulhar das ondas de S. Martinho do Porto.

Lisboa cumprir-se-á hoje. Não há tempo.

6 comentários:

  1. Pois é: levamos a vida a esquecermo-nos de nós!
    Mulheres!...

    ResponderEliminar
  2. No dia do Esquecimento
    disseram-me p'ra te esquecer
    Mas como sou esquecido
    esqueci-me de o Fazer.

    (Quadra Popular)

    ResponderEliminar
  3. Esqueceste-te? 'inda bem
    De te esqueceres de mim
    Porque eu de ti sou refém
    Dumas saudades sem fim.

    ResponderEliminar
  4. "euchavi":
    Espero que goste da minha quadra. Não é popular, mas é o que se pode arranjar :-))

    ResponderEliminar
  5. Olá Isabel! Gosto do texto mas também gosto muito da quadra que escreveste acima. Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Olá, Clementina. Bem aparecida sejas aqui pelo meu sítio. Volta mais vezes.

    ResponderEliminar