sexta-feira, 9 de novembro de 2012

AS POMBAS

O Outono visto da janela das traseiras


Divina pomba da paz

Quem me dera ser capaz
De voar tão alto assim;
Pomba branca, pomba mansa
Mensageira d'esperança
Voa sobre o meu jardim
......................................
José Fernandes
Do blogue: **Alma da minha poesia ** **Sopros da minha magia**


2 comentários:

  1. Olha o Acer negundo ou bordo canadiano!

    Leiria tem rentes e rentes destas árvores, bonitas.
    Claro, estão na sua fase outonal, como nós próprios, que mais não somos que uma parte integrante da Natureza.
    As pombas continuarão a ser o símbolo da paz e da solidariedade, mas cada vez mais só um símbolo, que o homem julga-se o centro do universo.
    Louco que ele é! Ingrato!

    Valha-nos a poesia para podermos voar com o símbolo e serenidade da pomba branca da paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AS coisas que o António sabe...
      Trata assim todas as árvores por tu? Acho isso fascinante!

      Valha-nos a poesia!

      Eliminar