segunda-feira, 24 de setembro de 2012

SORRISO AUDÍVEL DAS FOLHAS



Sorriso audível das folhas
Não és mais que a brisa ali
Se eu te olho e tu me olhas,
Quem primeiro é que sorri?
O primeiro a sorrir ri.

Ri e olha de repente
Para fins de não olhar
Para onde nas folhas sente
O som do vento a passar
Tudo é vento e disfarçar.

Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou
Isto acaba ou começou?

                                     Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

2 comentários:

  1. E fiquei logo a sorrir
    para aquela folha duma catalpa,
    debruçada sobre o rio Lis,
    um dia destes, à tardinha.
    Não acabámos a nossa conversa
    porque só trocámos olhares!

    Comecei ou acabei?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas como Pessoa o pôs a versejar!
      Começou e acabou para recomeçar, nas voltas de outro olhar...
      Agora os frutos da Catalpa começaram a abrir-se para, no Inverno, soltarem as sementes. Virá a primavera e logo as folhas reverdecerão. É sempre tempo de poesia...

      Eliminar